just take your time

Ela gostava de desenho animado, de leite com chocolate, de coisas cor-de-rosa, de falar igual bebê, de dormir a tarde toda no frio abraçadinha, de comer brigadeiro de madrugada, de abraçar um ursinho quando está triste, de jogar no celular, de fazer biquinho de brava.

Ela escondia, suas vontades de criança, seus sentimentos mais profundos, sua vontade de pular, de sorrir, de chorar.

Ela mudou, seu modo de se vestir, as músicas que ouvia, as pessoas com quem falava, os segredos que admitia.

Ela perdeu, a essência que a rodeava, os sonhos que a faziam viver, as pessoas que confiava e a vontade de acreditar.

Ninguém vale uma mudança, ninguém vale a sua criança.

Por mais piegas que pareça. Em algum lugar, alguém vai gostar de você, e você não vai precisar mudar.

Anúncios

Yeah, I know.

Eu sei que isso vai muito além da minha capacidade de compreensão, mas se você tiver paciência, se você quiser, se você deixar eu posso entender devagarinho enquanto você da risada de mim.

Eu sei que eu sou boba demais, santa demais, chata demais, falo demais. Mas se você quiser eu posso tentar diminuir a frequência disso tudo.

Eu sei que eu não tenho noção do tempo, que eu mando três mensagens por dia mesmo sabendo que você não vai responder só pra saber sua reação quando ler. Mas se você quiser eu posso começar a esperar mensagens de volta.

Eu sei que as vezes eu não respondo quando você me diz alguma coisa, mas é porque eu fico sem palavras. E se você quiser, eu prometo que vou pensar para cada resposta.

Eu sei que é engraçado a minha mudança de humor, as minhas confusões de sentimento e como eu adoro quando você me abraça tão forte que eu acho que vou quebrar.

Eu sei também que você tem medo da velhice e da morte, mas se você quiser, se você deixar, eu posso te enxer o saco até lá. Mesmo que tenha algum intervalo de tempo nesse caminho.

Querer fugir. Fugir sem querer.

 

Fugir parecia uma boa idéia. Sempre pareceu aliás, mas agora a idéia era agradável, atrativa, sedutora… Fugir.

Não fugir com alguém, fugir de alguém, de uma situação, de sua vida. Fugir para um lugar onde nunca ninguém ouviu falar de você. Onde você pode mudar seu nome para Juliana, Manoela, Clarice, pode mudar sua idade para menos, para mais. Pode trocar seu coração por uma garrafa de qualquer coisa destilada.

Simplesmente, fugir.

Fugir de pensamentos, de sentimentos, de sensações. De teorias, de suposições de amarguras. Fugir da desilusão, da ILUSÃO, do coração. Fugir.

Ir a um lugar onde o amor não seja tão super valorizado. Onde você não precise gostar de alguém. Ou fugir para um lugar muito ruim onde seja impossível gostar de qualquer um.

Fugir para as cidades que você leu em livros, para os países que viu em filmes, para os mundos que você viu em fotos.

Fugir para esperar, curar, tratar, esquecer. Ou fugir para lembrar sozinha. Só lembrar. Viver de lembranças. Nadar nas lembranças. Afogar-se em lembranças. Morrer de lembranças.

Esperar. Que o tempo tire a dor, a cor, o amor. Ou que deixe lá, para não crescer, nem desaparecer, mas para que esteja sempre lá.

Fugir para conhecer pessoas novas, idéias novas, sensações novas, sentimentos novos. Para poder chorar sem perguntarem o porquê. Para poder beber sem ajudarem você. Para deitar na rua e olhar lua sem saber qual vai ser o próximo local de fuga. Mas sempre sabendo que, assim que a dor vier novamente, você vai fugir.