Eu quero meu pai aqui…

Parece ingrato eu chorar por não estar com meu pai nesse momento, mas ele estar vivo quando tantas pessoas já sofreram essa perda.

Mas meu pai, apesar de não ser um militar é do tipo travel daddy. Daqueles que viajam o tempo todo a trabalho e só tem em mente conseguir o melhor para mim e para minha família.

Eu me lembro de chorar quando tinha uns quatro anos e ele ia viajar. Nós o levávamos ao aeroporto e eu ficava agarrada na janela, dando tchauzinho pro avião e chorando quietinha. Mas passava rápido e logo ele chegava em casa cheio de presentes.

Então eu passei a me apegar a isso. Presentes, ele sempre me trouxe as maiores novidades de fora do país e eu era uma criança cheia de coisas da toys r us em casa.

Até perder o valor. Hoje eu engaveto a maioria dos presentes, a última blusa que ele me trouxe, o perfume e até a camera estão na gaveta.  Porque é ruim olhar para eles e pensar que eles não vão me dar um beijo de boa noite, eles não vão me chamar de pequenininha e não vão cuidar da casa de noite.

Ridículo, mas desde que ele foi pra China eu não dormi um só dia na minha cama. Eu sinto tanta falta e tenho tanto medo e isso piora quando não posso falar disso pra ninguém.

“Duas semanas? Ah é pouco tempo! Ele volta cheio de presentes! Seu pai é CHIC! Você é rica!”

Sinceramente, se eu fosse rica ele não precisaria viajar tanto para garantir o emprego dele, se eu fosse rica minha família toda iria com ele.

Sexta-Feira que vem ele já está chegando e isso me conforta.

Mas então, nem uma semana depois ele já embarca para a Suíça e só volta quinze dias depois. E são mais quinze dias de angústia, medo, saudade.

EU que deveria estar fora de casa. Mudando de cidade em busca dos meus sonhos e ideais, mas como eu posso fazer isso e deixar minha irmã e minha mãe sozinhos? Como eu faço isso e perco os dias que ele fica em casa porque moro em outro lugar?

Isso não é um post para receber notes, não é algo que as pessoas vão se identificar. Não é algo que eu diria ao meu irmão, a minha mãe, a meu pai e nem as minhas próprias amigas.

Mas é o que eu precisava dizer, para algum lugar, alguma coisa…

Eu quero meu pai pra mim.

Meu adorável (des)conhecido

Eu conheço cada fio do seu cabelo que se enrosca nos meus dedos quando eu te faço um cafuné.

Eu conheço cada veia saltada que você tem nas têmporas e que aparecem só quando você fica nervoso.

Eu conheço todos os níveis e os desníveis da sua voz que mudam confome as emoções que você sempre tenta não demonstrar.

Eu conheço o som da sua respiração que sai quase como um rosnado quando você está realmente irritado.

Eu conheço cada dentinho meio tortinho (e que te da um charme inacreditável) que você tem dentro da boca e que me faz feliz quando você sorri para mim.

Eu conheço cada movimento que você faz com as mãos, principalmente quando você junta as mãos na testa e deixa os polegares de ambas levantados quando quer se acalmar para explicar uma coisa muito difícil de ser explicada.

Eu conheço cada engasgada que você dá quando está mentindo e eu sei que você da uma leve torcidinha de nariz quase imperceptível quando alguém diz alguma coisa que te irrita.

Eu conheço os seus gritos de fúria e angústia quando a torcidinha do nariz não é cabível perante uma injustiça muito grande.

Eu conheço o movimento que as suas sobrancelhas fazem quando você está impaciente mas não quer ser desagradável.

Eu conheço cada pontinho verde que tem dentro dos seus olhos castanhos, e tambem cada pontinho castanho que existe nesses seus olhos verdes e que quando eu fico tentando descobrir se existem pontinhos mais verdes ou mais castanhos me hipnotizam e eu não consigo pensar em mais nada a não ser você.

Eu conheço cada tom arrogante e irônico que você leva dentro de você e isso as vezes me irrita profundamente.

Eu conheço o toque dos seus dedos no meu rosto quando eu fecho os olhos e você tenta me acalmar.

Eu conheço tanto a sua cabeça que quando você fecha os olhos para dormir e eu faço isso ao mesmo tempo, mesmo quando a gente está longe eu posso sentir e eu sussurro mentalmente “boa noite meu bem” e eu sei que você pode me ouvir.

Eu conheço cada maldito impulso que você tem sobre tudo e que muitas vezes te faz meter os pés pelas mãos e me magoar e então quando eu digo que tudo acabou, que eu não quero mais te ver, te ouvir, te sentir, quando eu fico um, dois, três dias ou meses sem falar com você… Você tem o impulso mais poderoso sobre mim, que é o de entrar em todos os meus sonhos e sorrir com os dentinhos tortos, me olhar com esses olhos sem cor definida, acariciar meu rosto e me deixar te fazer um cafuné.

E eu conheço a minha reação de te perdoar e te fazer presente outra vez.

Mas eu desconheço os meus impulsos de sair correndo da minha casa as seis horas da manhã para entrar correndo em um aeroporto e implorar para você ficar.

Eu desconheço as batidas do meu coração quando eu PENSO em você, na sua voz, no seu cheiro, no seu olhar, no seu sorriso.

Eu desconheço os meus choros compulsivos de ódio profundo que começam da sua capacidade indiscutível de me fazer ficar DESCONTROLADA.

Eu desconheço minha insistência e desconheço mais ainda a forma que eu minto para mim e para todas as pessoas perto de mim fingindo que você não tem mais importância nenhuma.

Eu desconheço a força que eu pareço ter adquirido nos últimos anos e que depois de tantas escolhas e renúncias construiram um forte de emoções entre nós dois.

Mas o que eu mais me intriga é o fato de nem mesmo as palavras “conhecer e desconhecer” serem amplas o suficiente para assumir a forma do que eu sinto.

E embora eu não te conheça eu duvido que exista alguém no mundo que o conheça mais do que eu.

(Carolina Ruedas)

 

Anahí

Eu espero que você se surpreenda. Que você não esteja pronta. Que seus olhos se encham de lágrimas pelo nervosismo novamente, que você trema tanto que quase não pode passar o batom. Que seu coração bata forte e que você sinta o maior alívio da sua vida quando ouvir “GRAVANDO!”. Espero que você NÃO se sinta em casa, para que tudo seja novo e excitante. Para que você queira conhecer mais, sentir mais, viver mais. Espero que você não se importe com o que vão pensar e que não queira sair bem na foto. Espero que você queira captar a vibração de tantos corações. Que você sorria se quiser, mas que você queira sorrir para todos que entregarão o coração a você. Espero que você não se esqueça que seu brilho é só seu e que a gente nunca perde o nosso brilho, no máximo ele se esconde, mas se você procurar em seu coração, ele vai estar lá. Espero que você queira ser a Anahí que existe dentro de você. Aquela Anahí que ninguém conhece, mas que você quer mostrar a todos. Espero que você suba em cima das críticas que você sorria para elas e que tome delas algo de bom, porque tudo tem um lado bom. Espero que você siga o caminho que você escrever. Que não se deixe guiar por ninguém. Que você respire fundo, respire normal, respire fraco, mas que você respire. Que renove seu interior. Que se apóie em sua família. Eu espero que você chore. CHORE MUITO. Chore na frente de quem for preciso, se você sentir que quer chorar. Porque quem está do seu lado sempre vai te apoiar, vai chorar com você, vai rir da sua cara, vai fazer o que for, mas eu tenho certeza que vai fazer você se sentir melhor. Eu espero tudo de você e não espero nada. Porque você tem que ser você. Tem que ser aquela que nós não conhecemos e amamos mesmo assim. Você tem que ser o que quiser. Uma fada, uma leoa, uma partícula do universo que conspira ou só a Anahí. Porque seja o que for, eu vou te amar do jeito que você é.

(Carolina Ruedas)