Sobre recuperações instântaneas

Acho engraçado (agora) como a gente passa dias e noites desejando se recuperar de alguma coisa ruim que aconteceu e como a gente tem certeza de que aquele sofrimento vai ser eterno e que com oitenta anos ainda vamos nos sentir absolutamente infelizes. 

E então, sem perspectiva nenhuma de voltar a mostrar os dentes em um amplo sorriso espontâneo, a gente fica treinando na frente do espelho como parecer menos sofrida para que as pessoas não percebam nosso atual estado de calamidade emocional.

Fica pior quando você percebe que embora sua mãe tenha amor incondicional por você e sua amiga tenha feito coisas incríveis para te ajudar a melhorar, nem elas aguentam mais te ouvir lamentar.

Você passa a planejar uma vida solitária em cima de uma colina do estilo da dos telletubies para não contagiar o mundo com a sua infelicidade. Ninguém gosta de gente infeliz, então melhor presentear as pessoas com a sua ausência do que com essa presença desagradável. E quando você está de malas prontas…

Acabou o sofrimento. Assim, de um dia para o outro, sem tempo de dar mais uma choradinha ou ouvir uma última música da Adele. 

E nem se você fizer muita força vai conseguir lembrar o porquê de tanta tristeza. Nem se você tentar reviver tudo de novo só pra sentir mais um pouquinho de desgosto. O coração não tem mais buraquinhos, a cratera que a bazuca da ingratidão tinha deixado agora se fechou e você só pensa em malhar os cinco quilos ganhados daquele monte de besteira que você comeu nas sextas-feiras a noite.

Já foi. Tudo aquilo que fazia tanto sentido antes agora parece estar em mandarim. Você passa a acreditar que pode ter sido abduzida ou drogada por tempo indeterminado. Sente falta das lágrimas perdidas e se arrepende por tê-las gastado com alguma coisa que agora não é nada importante.

E volta a reclamar dos mosquitos, do trânsito, do calor, do governo, do efeito estufa, da inflação, da passagem do ônibus. E volta a rir das piadas sem graça do seu chefe, do playboy tropeçando na rua, das notícias bizarras do jornal, do chaves, dos vídeos do youtube, até zorra total passa a ter graça pra você.

Porque finalmente mudou e você não precisou fazer nada pra isso. Só sentar, chorar e esperar a dor passar. E quando você já acreditava que estava fadado a ser a pessoa mais  fracassada do mundo, ele girou. 

Ele faz isso de vez em quando. Gira sem a gente perceber, não adianta implorar para ele acelerar esse processo. Porque o mundo tem o tempo dele. Espera menina. Espera que uma hora gira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s