Com licença, eu vou descer.

яєℓ | ask.fm/KrwaweTrampki

Eu sei que aquele dia que eu decidi aparecer eu não pedi licença mas agora, se você permitir, eu vou pedir. E eu também vou pedir mais uma série de coisas que talvez você nunca pensasse que eu pediria então eu aconselho que você tenha um pouco de paciência. Talvez seja difícil ouvir tudo isso sem explodir já que você parece uma panela de pressão, mas é como eu te disse naquela noite em que você não queria conversar: Nós estamos pendurados por uma rede na beira de um abismo e se você não suportar a pressão, os dois vão cair. E é por isso, que com toda a calma e delicadeza do mundo eu te aviso que vou voltar para o chão.

Você não percebeu que a gente estava subindo alto demais, eu sei. Eu pelo contrário sabia bem onde estava pisando. Você sabe que é impossível me surpreender com qualquer coisa já que meu nível de expectativas é tão alto que eu já imaginei tudo o que vai e o que nunca vai acontecer. Mas sabe, estava tão divertido subir que eu não pensei que talvez precisasse te avisar da altura.

Então num dia quando eu te perguntei o que a gente tava fazendo ali você decidiu olhar para baixo e se assustou. Começou a falar um montão de abobrinhas e eu fiquei com tanto medo de cair que segurei em você e na rede bem forte. Você decidiu parar para descansar, mas a verdade é que a gente está ficando cada vez mais cansado.

Não dá ficar aqui pra sempre. Nesse morninho gostoso que parece toda hora que vai esquentar, mas não esquenta nem esfria. Nesse copo de cerveja pela metade a espera o garçom que vai completar ou da boca que vai tomar. Nesse sol atrás da montanha que não sabe se nasce ou se põe. Então se você não quer continuar subindo comigo, eu acho que é melhor eu descer assim devagarinho, como quem não quer nada (embora eu queira tudo).

Não foi nada que você disse. Também não foi nada que você fez. É só que, cara, não da pra continuar no meio do caminho quando a gente sabe que lá em cima tem infinitas possibilidades. E sim, eu sei que nós estamos no meio do caminho e que voltar para o chão parece burrice, mas eu acho que só você não percebeu que a gente não vai sair daqui.

Hoje não é um dia para te pedir desculpas pela minha falta de paciência. Também não é um dia para te pedir por favor para subir. A palavra mágica da vez é outra: Com licença, eu vou descer.

Vou descer porque não quero ser mais uma estátua, porque eu sei que lá embaixo tem um monte de gente que quer subir e porque eu tenho medo de cair, mas olha só: eu enfrento meus medos.

Vou descer porque a corda que segura a gente tem prazo de validade e de tanto ficar travada no mesmo lugar uma hora vai arrebentar.

Vou descer porque o tempo que eu to aqui esperando essa porcaria subir já dava para ter subido e descido cinco vezes.

Vou descer porque enquanto você tem medo de velocidade, eu tenho medo de freio e eu sempre preferi voltar pra traz do que ficar parada.

Desci.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s